No prelo há quase 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos

Menção a um comentário não autenticado sobre o poema: Teoria poética do capitalismo

03/12/17 00:32 - Mary (não autenticado* - IP: 187.27.100.129)
"Deve ser duro ser comunista. Quem te deu esse óculos? O Che? E essa camisa branca? Ah, o estado. E o terninho verde? Moscou, sei, mas a sua burrice, simplória, o mimimi do coitadinho provavelmente foi o lula, que sem capital, (fora os 2 bi no exterior) foi lacrado por gente que tem coragem."


Há um neurônio atrás do pensamento,
que zurra, nos circuitos cerebrais
dos humanos e doutros animais,
como a anta, o muar e o jumento.

Um neurônio tão pobre e tão pequeno,
que mal sabe expressar a endorfina;
que dispersa energia na urina,
como a parte inativa do veneno.

Um neurônio fascista, inusual...
que se esconde na massa cerebral
dos que julgam à luz do preconceito.

Um neurônio que envolve o fecaloma
que represa na alma e no soma,
toda a fez a que o homem tem direito.
Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 03/12/2017
Alterado em 05/12/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras