No prelo há mais de 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos

O palhaço

No circo, a plateia tresloucada
ri das piadas tolas do palhaço,
enquanto ele se esconde do cansaço
de tanto repetir a gargalhada.

Hoje vai ter festança, meninada!
Quem quer participar, levante a mão!
E dá uma rasteira no anão,
e arranca da turba mais risada.

E cai desajeitado e se levanta,
e ri, mais uma vez, e até canta
a velha e desgastada cantoria.

E anuncia a próxima atração,
e serve como bala de canhão,
e como um peso a mais na montaria.

E assim segue o palhaço, noite e dia...
posto a zombar de si na multidão.
Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 17/11/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras