No prelo há mais de 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos

Ebriológica

E veio a falecer no fim do dia,
após encher a cara de cachaça.
Dizem que seu enterro foi de graça,
ou pago por alguém da confraria.

Deixou duas barrigas de Maria,
marcas de cotovelos no balcão
do bar do venerado seu João,
que já, faz algum, tempo não abria.

Veio a ressuscitar dias depois,
ao vomitar um punho de arroz
e três ou quatro punhos de feijão.

Pegou de volta os filhos de Maria,
pagou juros de mora à confraria
e morreu, outra vez, sem um tostão.
Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 19/08/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras