No prelo há mais de 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos
Título Categoria Data Leituras
Ato consumado Sonetos 13/03/21 8
Outra Lisboa (reedição) Sonetos 03/03/21 9
Nuncupação (reedição) Sonetos 20/02/21 17
Às favas com o rigor das regras Sonetos 17/02/21 23
Meu coração-cupido Sonetos 06/02/21 12
Metaforismo gramaticida (reedição) Sonetos 06/02/21 12
Metáfora de um soneto a termo Sonetos 30/01/21 14
Uma viagem na paixão Sonetos 26/12/20 23
A dor da perfeição Sonetos 30/10/20 24
Sonetilho-repente Sonetos 22/10/20 26
O que o vírus ensina? Sonetos 13/09/20 27
José que amava Rosa Sonetos 14/07/19 41
Estio poético Sonetos 13/07/19 28
As hienas humanas Sonetos 15/06/19 29
Autocídio Sonetos 14/07/18 50
Meu verso Sonetos 07/10/17 68
Pseudologia filosófica e Terral (interação com o amigo Fernando Cunha Lima) Sonetos 18/06/17 80
Poema da solidão Sonetos 25/04/17 72
Pra dizer um adeus Sonetos 25/04/17 38
Soneto Burlesco Sonetos 15/04/17 40
Página 1 de 54 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]
Site do Escritor criado por Recanto das Letras