No prelo há mais de 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos
Título Categoria Data Leituras
Carris da infância Sonetos 02/07/15 27
Outono encantado Sonetos 28/06/15 32
Outra Lisboa Sonetos 28/06/15 17
Luvas vazias Sonetos 28/06/15 7
Bucólico despertar Sonetos 22/06/15 35
Monólogo do seio direito Sonetos 21/06/15 16
Univitelinos Sonetos 21/06/15 12
Flores falsas Sonetos 21/06/15 23
Evocação ao paraíso Sonetos 20/06/15 25
Fusão poética Sonetos 20/06/15 24
Ambiguidade espúria Sonetos 20/06/15 19
Ciclo hierárquico Sonetos 20/06/15 67
Discípulo de Onan Sonetos 20/06/15 23
Era uma vez... Sonetos 19/06/15 17
Trajetória Sonetos 17/06/15 19
Clone Sonetos 15/06/15 25
Divagação Sonetos 15/06/15 26
Chave de um enigma Sonetos 14/06/15 22
Linhas tortas Sonetos 14/06/15 36
Cão-de-guarda Sonetos 14/06/15 19
Página 3 de 54 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]
Site do Escritor criado por Recanto das Letras