No prelo há mais de 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos
Título Categoria Data Leituras
Uma sátira à sátira Sonetos 20/02/15 21
Menção aos sábios Sonetos 19/02/15 36
Maniqueísmo moderno Sonetos 18/02/15 44
Luto precoce Sonetos 18/02/15 36
Enquete Sonetos 17/02/15 26
A arte segundo Oscar Wilde Sonetos 17/02/15 29
Excluída Sonetos 15/02/15 32
Autocrítica Sonetos 13/02/15 34
Espaços vazios Sonetos 31/01/15 38
Crescimento Sonetos 30/01/15 30
Rua Olavo Bilac, 2140, Teresina-Piauí Sonetos 29/01/15 35
Mercado de almas Sonetos 24/01/15 40
Darwinismo criacionista Sonetos 18/01/15 34
Poemeto para Ovídio Sonetos 18/01/15 24
Futuro Sonetos 17/01/15 36
Menção ao inventor Sonetos 17/01/15 11
Fabela do rato e o leão Sonetos 17/01/15 15
Ilustres analfabetos Sonetos 16/01/15 59
Cárcere poético da palavra Sonetos 16/01/15 25
Fonte de água rasa Sonetos 15/01/15 17
Página 9 de 54 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]
Site do Escritor criado por Recanto das Letras