No prelo há quase 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

 

















 
Em busca da beleza
Herculano Alencar
 
Eu encontrei vestígios de beleza
nas flores, nos amores, nas pinturas,
nos céus, nos corações das criaturas
e nas curvas corpóreas de uma deusa.
 
Também achei beleza nas alturas
(etérea moradia do divino),
no riso exultante de um menino
a procurar por novas travessuras...
 
Mas a beleza imensa da feiura,
da dor, da solidão, da amargura,
do mal, que no meu peito, ora blasfema.
 
Essa beleza oculta e disfarçada,
fui encontrar no meio da estrada,
à sombra aconchegante de um poema.

 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras