No prelo há mais de 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos
Título Categoria Data Leituras
Sul real Poesias › Surrealistas 19:44 7
"Sonetos" entre aspas Poesias › Humor 18:48 5
Bucolismo de Natal Poesias › Reflexão 15:25 8
Ares de dezembro Poesias › Reflexão 13:17 8
Cartel de Natal Poesias › Reflexão 09:53 7
Filosofossa (reedição) Poesias › Humor 03/12/21 5
Reminiscências (reedição) Poesias › Saudade 28/11/21 14
Presente de natal Poesias › Saudade 27/11/21 8
O Natal hodierno Poesias › Redondilha 21/11/21 15
Pintura surreal Poesias › Surrealistas 13/11/21 22
O beija-(flor)-estrela Poesias › Amor 10/11/21 14
Um conto sem vigário Poesias › Redondilha 10/11/21 9
Lembrança de Juçara Poesias › Redondilha 10/11/21 7
Retratos (em menção a Cecília Meireles) Poesias › Desilusão 07/11/21 19
Drama urbano (reedição) Poesias › Social 02/11/21 6
Amor em verso Poesias › Amor 16/10/21 24
Humor sem sal Poesias › Humor 16/10/21 10
Um soneto sem metro Poesias › Humor 15/10/21 13
Indicado Poesias › Humor 15/10/21 15
Humor ácido de um poeta alcalino Poesias › Humor 15/10/21 14
Página 1 de 37 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » próxima»
Site do Escritor criado por Recanto das Letras