No prelo há quase 50 anos...

O amor, poeta, é como cana azeda, A toda boca que não prova engana. (Augusto dos Anjos)

Textos
Acrósticos (1) Artigos (4) Contos (2)
Cordel (25) Frases (24) Haikais (3)
Humor (5) Mensagens (4) Natal (8)
Pensamentos (17) Poesias (275) Sonetos (1068)
Textos Eróticos (2)
Título Categoria Data Leituras
Meu estro surreal Poesias > Surrealistas 21/08/16 15
Ao amigo Fernando Cunha Lima Sonetos 20/08/16 29
Lista surreal Poesias > Surrealistas 20/08/16 11
Ebriológica Sonetos 19/08/16 24
Gramatiquice surreal Poesias > Surrealistas 02/07/16 25
Os nós da história Poesias > Surrealistas 01/07/16 20
Às avessas Poesias > Surrealistas 29/06/16 21
Antes Dante do que eu Poesias > Surrealistas 23/06/16 28
O quinto cavaleiro Poesias > Surrealistas 21/06/16 15
Cenário de um estupro Sonetos 28/05/16 29
Menção ao dia dos namorados Poesias > Amor 28/05/16 10
Um versinho qualquer na poesia Sonetos 16/04/16 40
O reino encantado do desencanto Poesias > Reflexão 07/04/16 20
O Homo sapiens moderno Poesias > Transcendentais 06/04/16 21
Que puxe a corda aquele... Poesias > Social 19/03/16 13
Sonho de cachaça Sonetos 19/03/16 43
Parasitismo político Poesias > Social 13/03/16 17
Parachoqueando o chefe Sonetos 13/03/16 24
Teologismo carnavalesco Poesias 12/03/16 9
Ramis Poesias 10/03/16 10
Página 8 de 72 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]
Site do Escritor criado por Recanto das Letras